Afinal, Por Que Ovo De Páscoa É Tão Mais Caro Que Barra De Chocolate?

Autor: Luciana Luty

Publicada em


Quem anda pelos supermercados e lojas pode acabar se surpreendendo com o alto preço dos ovos de Páscoa. Isso fica ainda mais evidente quando se compara esse preço com o do chocolate em barra, por exemplo. Mas por que o ovo de Páscoa é tão mais caro que o chocolate em barra?

Veja o que diz um economista e a Associação que representa os fabricantes de chocolate. Se decidir manter a tradição e comprar ovos de Páscoa, veja  também dicas para economizar.

É mais caro fabricar ovo de Páscoa, diz indústria

O ovo de Páscoa tem custos de produção e de logística muito maiores que as barras de chocolate, segundo Ubiracy Fonseca, presidente da Abicab (Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Cacau, Amendoim, Balas e Derivados)

Os tabletes tradicionais são feitos o ano inteiro, em linhas totalmente automatizadas, enquanto os ovos têm boa parte da produção manual, o que gera custos extras.

Ubiracy Fonseca, presidente da Abicab

Segundo Fonseca, a produção dos ovos normalmente começa bem antes da Páscoa, em setembro. Para dar conta dos pedidos, as empresas contratam funcionários temporários, o que aumenta a folha de pagamento. Esses ovos precisam ficar armazenados em locais com temperatura controlada para não derreter enquanto aguardam o transporte para os supermercados –o que tem seu custo, diz Fonseca.

Embalagem, brinquedos e personagens

Embalagens mais sofisticadas e reforçadas também aumentam o custo de produção, de acordo com Fonseca. Há também produtos com desenhos de personagens ou que têm com brinquedos como brinde, o que exige o pagamento de royalties.

Mais viagens de caminhão

Outro custo importante, segundo o presidente da Abicab, é o de transporte. Enquanto um caminhão consegue levar até 12 toneladas de chocolate em barra, o mesmo caminhão só pode levar, no máximo, três toneladas de ovos de Páscoa, pois esses podem quebrar mais facilmente. “Isso faz com que sejam necessárias mais viagens para transportar o produto”, afirma.

Seguro desperdício

Além disso, as empresas também adicionam um custo para cobrir eventuais perdas. Após a Páscoa, os ovos que não são vendidos voltam para os fabricantes, que amargam o prejuízo, diz Fonseca.

Por mais que se façam estudos e planos para diminuir essas perdas, sempre acaba sobrando.

Ubiracy Fonseca, presidente da Abicab

As pessoas aceitam pagar, diz professor

Esses custos citados acima até influenciam o preço final dos ovos, mas o peso maior está em um componente emocional, chamado de percepção de valor, na opinião de Walter Franco Lopes, professor de economia do Ibmec em São Paulo.

A percepção de valor, segundo Lopes, é quanto um produto vale aos olhos do consumidor, ou seja, quanto ele se dispõe a pagar por aquilo. Por ser uma data especial e fazer parte de uma tradição, muitas pessoas aceitam pagar mais caro por um ovo de Páscoa para si mesmas ou para presentear alguém.

A satisfação em comprar ou receber um ovo de Páscoa é muito maior do que a de comer um chocolate em barra, e por essa satisfação, as empresas cobram mais caro.

Walter Franco Lopes, professor do Ibmec/SP

Vai comprar ovo? Veja dicas para economizar

Para quem não abre mão de comprar um ovo de Páscoa, Lopes sugere algumas táticas para economizar. A primeira delas é pesquisar preços em diferentes pontos de venda. “Gastar a sola do sapato ainda é a melhor forma de encontrar o menor preço”, diz.

Outra estratégia, de acordo com o professor, é procurar produtos alternativos, como os de marcas menos conhecidas, de tamanhos menores ou mesmo os caseiros, feitos por pequenos empreendedores.

 

Cidades           

Realidade em Foco

Realidade em Foco