Com palestras e pensão, Obama enriquece após sair da Casa Branca

Autor: Luis Silva

Publicada em


Existem muitos bons motivos para se preocupar com o quanto um presidente ganha, mesmo depois que ele deixa o governo. A renda de um ex-chefe de governo pode falar mais sobre seus valores do que suas políticas e legislações que implementa.

Então quando alguns americanos, incluindo a senadora Elizabeth Warren, de Massachusetts, viu Barack Obama aceitar US$ 400 mil de Wall Street por palestras, assinando contratos de US$ 65 milhões por um livro e tirando férias com os mais ricos do mundo no Taiti em um iate de US$ 300 milhões, pode apostar que ficaram perplexos.

Como pode aquele Obama, o candidato de fala mansa de 2008 que detonava o jogo capitalista de Wall Street e estava em sintonia com a classe trabalhadora de uma forma que há muito tempo seu partido não conseguia, viver uma vida como o 1% mais rico do mundo depois que saiu da Casa Branca?

Obama receberá uma pensão anual de mais de US$ 200 mil, depois de vetar em 2016 uma proposta de lei aprovada pelo Congresso que limitaria a pensão dos ex-presidentes a este limite. Ele acertou o valor de US$ 400 mil, que é o equivalente à sua pensão anual, por uma entrevista de 90 minutos, na qual conversou sobre coisas sobre desigualdade social com um historiador. Ele ainda acertou mais US$ 400 mil por um discurso de 60 minutos em um evento da gigante Cantor Fitzgerald.

E ele não vai parar por aí: a agência Harry Walker, que foi contratada para representar o ex-presidente e sua mulher e agendar eventos, toda semana firma novos compromissos.

Todos os presidentes norte-americanos ganharam muito dinheiro depois de sair da Casa Branca. Na verdade, os anos que ficaram no governo são os anos em que ganham menos dinheiro.

“Saímos do governo não apenas quebrados, mas endividados”, disse a ex-secretária de estado Hillary Clinton em uma entrevista de 2014 com Diane Sawyer. “Nós tivemos que nos virar com hipotecas de nossas casas para pagar a faculdade de Chelsea, não foi fácil.”

Os Clintons, assim como o ex-presidente George W. Bush, ganharam milhões depois que deixaram o governo, incluindo cheques gordíssimos por discursos em Wall Street. Mas os Obamas estão batendo todos os recordes, alarmando tanto seus críticos como seu próprio partido.

“Fiquei preocupada” escreveu o filantropo Warren Dean ao saber que o político estava cobrando US$ 400 mil por palestra. “A influência do dinheiro é uma cobra que se arrasta por Washington.”

Mas você não precisa ouvir ele: o próprio Obama disse que não estava ligado aos interesses das grandes corporações e banqueiros que sempre elegeram seus representantes nos EUA.

“Não concorri a presidente para ajudar o bando de gatos gordos de Wall Street”, disse o Obama em 2009.

Fonte: Msn.com






Cidades           

Realidade em Foco

Realidade em Foco