Fraudes em concursos devem ser apuradas junto ao MP-PI

Autor: Luis Silva

Publicada em


Em razão das polêmicas em torno de concursos públicos, em que fraudes vieram à tona na mídia e em redes sociais, a Universidade Estadual do Piauí (Uespi) e o Núcleo de Concursos e Promoção de Eventos (Nucepe) realizaram na manhã desta quarta-feira (19) uma reunião com outros órgãos do Estado do Piauí, a fim de discutir estratégias para o fortalecimento da segurança dos serviços prestados à sociedade piauiense em certames.

De acordo com Nouga Cardoso, reitor da Uespi, “os ataques a concursos estão acontecendo a diferentes instituições”, pontua. “Por isso, chamamos todas as forças de segurança do Estado para criarmos uma força-tarefa junto à universidade para levar tranquilidade e esclarecimento à sociedade”, acrescenta.

Ele afirma que é necessário lisura durante todo o processo. “As provas devem ser conduzidas com transparência e probidade. Nosso compromisso é com zelo ao serviço público e à sociedade de modo geral. Queremos permitir que apenas as pessoas com maior rendimento logrem êxito nos concursos”, completa o reitor da Uespi.

Levando isso em consideração, Jorge Martins Filho, presidente da Nucepe, defende que órgãos como o Ministério Público do Piauí (MP-PI) estejam mais próximos da elaboração dos concursos. “É necessário que as entidades públicas acompanhem o concurso. Nós, enquanto Nucepe, não apuramos fraudes. Nós apenas colhemos todas as informações, em parceria com a Polícia Civil e qualquer instituição possa requerer”, explica.

Representantes do MP-PI e da Ordem dos Advogados do Piauí (OAB-PI) também estiveram na reunião, e falaram da necessidade de resolver questões legais em conciliações, pois a recomendação é que essas problemáticas não precisem chegar ao judiciário.

Fonte: Meionorte.com





Cidades           

Realidade em Foco

Realidade em Foco