Funcionários que filmaram autópsia de Cristiano Araújo foram demitidos

Autor: Luis Silva

Publicada em


Os funcionários da Clínica Oeste, que gravaram um vídeo da preparação do corpo do cantor Cristiano Araújo para seu funeral, que aconteceu entre a noite da última quarta-feira e manhã dessa quinta, serão demitidos por justa causa. As imagens geraram revolta nos fãs, que reclamaram na página do Facebook da empresa. Em nota enviada à imprensa, o estabelecimento informou que “repudia com veemência o ato dos dois funcionários que, de maneira mórbida, gravaram e divulgaram tais imagens”.

Leia a nota oficial da Clínica Oeste na íntegra:
“Em virtude dos últimos acontecimentos envolvendo a divulgação de imagens do corpo do cantor Cristiano Araújo, a Clínica Oeste vem a público informar que repudia com veemência o ato dos dois funcionários que, de maneira mórbida, gravaram e divulgaram tais imagens. A clínica tem como procedimento orientar sua equipe que, inclusive, assina regulamento interno de trabalho e Ordem de Serviço de Segurança e Medicina do Trabalho individual para cada caso, documentos estes que proíbem que toda e qualquer etapa do trabalho desenvolvido na empresa seja gravado, fotografado e, principalmente, divulgado. Diante do erro cometido por dois funcionários de seu quadro profissional, a clínica informa que não é conivente com este tipo de conduta e que já tomou as providências legais para efetuar as demissões por justa causa. A Clínica Oeste existe há quatro anos e reitera seu compromisso com a ética, a transparência, o zelo pela prestação do serviço e o respeito às famílias, e se solidariza com todos os que, como ela, repudiam tal ato”.

cris1.jpg

REVOLTA NAS REDES SOCIAIS
O vazamento do vídeo está sendo investigado pela Polícia Civil de Goiás. Nas imagens, que foram enviadas para o WhatsApp do Extra, aparecem duas pessoas: um homem de máscara e uma mulher que o auxilia e grava a sequência, enquanto o serviço é realizado. Nas redes sociais, fãs do cantor condenaram a gravação. O caso será acompanhado pelo Ministério Público.

A página no Facebook da Clínica Oeste, responsável pela preparação do corpo de Cristiano Araújo para o velório, está mais movimentada do que nunca. Muitos fãs do cantor e internautas têm publicado comentários repudiando a divulgação das fotos do corpo do cantor, que teriam sido tiradas no local e compartilhada por funcionários.

Em uma das mensagens compartilhadas na página, um internauta questiona: “cadê a ética e o respeito? Merecemos uma posição de vocês! Ridícula essa atitude! Falta de profissionalismo! Que a justiça seja feita”. Outra pessoa pergunta à clínica como é possível dar tranquilidade às famílias “divulgando vídeos dos entes queridos”, além de dizer que trata-se “falta de ética” e que está “indignada com tamanho desrespeito com o ser humano.”

REVOLTA.png

Uma postagem específica chamou a atenção dos internautas. No início de junho, a clínica compartilhou em sua página uma foto da princesa Diana, lembrando que “o corpo da princesa foi submetido ao processo de tanatopraxia em 1997, embora o seu corpo jamais tenha sido exposto publicamente”. Nos comentários, usuários da rede social ironizaram a publicação. “Se tivesse passado por vocês, o mundo inteiro teria visto o cadáver”, diz um deles. Em outro comentário, uma pessoa escreveu que era uma “ironia ler a postagem depois do que seus funcionários vazaram na internet.”

DIANA.png

Nessa quinta-feira, a Secretaria de Estado da Segurança Pública e Administração Penitenciária de Goiás, em conjunto com a Delegacia-Geral de Polícia Civil do estado, divulgou uma nota informando que “as investigações da Policia Civil e do Instituto de Medicina Legal de Goiás já constataram que as imagens não foram gravadas em instalações do IML” e que “apontam que o local pode ser a sala de um estabelecimento de preparação de corpos para velório e sepultamento e as pessoas que aparecem, funcionários da empresa”. A nota diz ainda que “o resultado das investigações será encaminhado para o Poder Judiciário” e que “as pessoas que participaram do ato criminoso podem ser condenadas à pena de 1 a 3 anos por vilipêndio a cadáver.”

Fonte: Com informações de Extra Online





Cidades           

Realidade em Foco

Realidade em Foco