Lula diz que não perdoa Moro, mas que vai cumprir mandado de prisão

Autor: Luis Silva

Publicada em


Lula fala pela 1ª vez após prisão ser decretada

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva discussou na frente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC. Ao iniciar seu discurso, Lula cumprimentou os “companheiros e companheiras” em frente ao sindicato. Ele citou seus apoiadores políticos presentes, entre eles, o governador do Piauí Wellington Dias e a ex-presidente Dilma Rousseff. É a primeira vez que Lula fala publicamente desde que teve sua prisão decretada na última quinta (5).

Lula agradeceu a ex-presidente Dilma Rousseff, de mãos dadas com ela. Ele diz que ela é “possivelmente a mais injustiçada das mulheres que um dia ousaram fazer política neste país”. Lula diz que Dilma foi a pessoa que lhe deu a tranquilidade de fazer quase tudo o que conseguiu fazer na presidência. “Eu sou grato de coração, porque não teria sido o que foi se não fosse a companheira Dilma.”

O ex-presidente afirmou que parte das conquistas da democracia brasileira se deve ao Sindicato dos Metalúrgicos a partir de 1978. “Aqui foi minha escola, aprendi sociologia, economia, física, química, e aprendi a fazer muita política.”

Lula diz que está sendo processado e tem dito claramente: “o processo do meu apartamento, eu sou o único ser humano que sou processado por um apartamento que não é meu.” Lula diz que todos estão mentindo que o apartamento era seu. “E eu pensei que o Moro ia resolver, mas ele mentiu dizendo que era meu”.

Lula disse que não perdoa os envolvidos por terem “passado para a sociedade a ideia de que eu sou um ladrão”. “Nenhum deles tem coragem ou dorme com a consciência tranquila, da honestidade, da inocência, que eu durmo”, diz Lula. “eu não estou acima da Justiça.”

“Eu acredito na Justiça. Numa Justiça justa, que vota um processo baseado nos autos do processo, nas informações das acusações, das defesas, na prova concreta. O que eu não posso admitir é um procurador que fez um PowerPoint e foi para a televisão dizer que o PT é uma organização criminosa que nasceu para roubar o Brasil”, diz Lula.

Lula fala pela primeira vez após ordem de prisão
Lula fala pela primeira vez após ordem de prisão

Lula diz que “certamente um ladrão não estaria exigindo prova, estaria de rabo preso, com a boca fechada”. Lula diz que “quanto mais eles me atacam, mais cresce a minha relação com o povo brasileiro”. “Eu não tenho medo deles. Eu até já falei que gostaria de fazer um debate com o Moro sobre a denúncia que ele fez contra mim. Eu gostaria que ele me mostrasse alguma coisa de prova. Eu há muito tempo atrás sonhei que era possível governar esse país envolvendo milhões de pessoas pobres na economia, nas universidades, criando milhões de empregos”, diz Lula.

“Esse crime eu cometi. Eu cometia esse crime que eles não querem que eu cometa mais. É por conta desse crime que já tem uns 10 processo contra mim. E se for por esse crime, de colocar pobre na universidade, negro na universidade, pobre comprar carro, pobre andar de avião, se esse é o crime que eu cometi, eu vou continuar sendo criminoso nesse país, porque eu vou fazer muito mais”, diz Lula.

O ex-presidente afirmou que “agora estamos num trabalho delicado. Eu talvez viva o momento de maior indignação que um ser humano vive. Não é fácil o que sofre a minha família, os meus filhos, o que sofreu a Marisa”, citando a ex-primeira-dama que morreu no ano passado.

“Não pensem que eu sou contra a Lava Jato. Se pegar bandido, tem que pegar bandido mesmo que roubou e prender. Todos nós queremos isso. Quem quiser votar com base na opinião pública largue a toga e vá ser candidato. Escolha um partido político e vá ser candidato”, diz Lula.

Lula diz que ministro da Suprema Corte não deveria dar declaração de como vai votar. “O juiz tem que ter a cabeça mais fria, mais responsabilidade de fazer acusação ou de condenar”, diz Lula. Ele também se referiu  sobre o Ministério Público. Ele critica “meninos” que entram no MP “porque o pai pode pagar” e diz que eles precisam conhecer mais a sociedade brasileira. Lula diz que não querem que ele participe da eleição. “Eles não querem o Lula de volta, porque pobre na cabeça deles não pode ter direito.”

Lula declarou que vai atender o mandado de prisão. “Vou atender porque eu quero fazer a transferência de responsabilidade. Eles acham que tudo o que acontece nesse país acontece por minha causa. Não adianta tentar parar o meu sonho, porque quando eu parar de sonhar eu sonharei pela cabeça de vocês. O meu coração baterá pelo coração de vocês, e são milhões de corações. Eu não pararei porque eu não sou mais um ser humano, eu sou uma ideia, uma ideia misturada com a ideia de vocês. Eu não pararei porque eu não sou mais um ser humano, eu sou uma ideia, uma ideia misturada com a ideia de vocês”, diz Lula a apoiadores.

Segundo Lula,  muitas pessoas sugeriram que ele procurasse asilo no Uruguai ou em embaixadas de outros países. Ele diz que não tem mais idade para isso e que vai enfrentar todos “olho no olho”. “Quanto mais dias me deixarem lá [preso], mais Lulas vão nascer neste país. Eu não to escondido, eu vou lá na barba deles, para eles saberem que eu não tenho medo, que não vou correr e para saberem que eu vou provar a minha inocência”, diz o ex-presidente.

Lula diz que tem profundo orgulho de ter sido o único presidente sem ter um diploma universitário. “Mas sou o presidente que mais fez universidade na história desse país. Vamos fazer uma nova Constituinte, vamos revogar a lei do petróleo, não vamos deixar vender o BNDES, a Caixa Econômica”, diz Lula.

Lula lembra que os amigos “de gravatinha” desapareceram, e que os amigos que permanecem são aqueles que já eram seus amigos desde a época do sindicato. “Eu sairei dessa maior, mais forte, mais verdadeiro e inocente, porque eu quero cobrar que eles é que cometeram um crime, um crime político de perseguir um homem que tem 50 anos de história política. Esse pescoço aqui não baixa. Eu vou de cabeça erguida e vou sair de peito estufado de lá”, declara Lula ao encerrar seu discurso.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva encerrou seu discurso no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC por volta das 12h55 deste sábado (7). Ao final, o petista foi aplaudido por militantes que acompanhavam o ato sob gritos de: “eu sou Lula”.

Lula discursa na sede do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC
Lula discursa na sede do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC

Atualizado 11h40

Ministro Edson Fachin nega novo pedido de Lula para evitar prisão

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou neste sábado (7) um novo pedido apresentado pela defesa para evitar a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Com a decisão, fica mantida a ordem de prisão decretada na última quinta (5) pelo juiz Sergio Moro, a ser cumprida pela Polícia Federal.

O ex-presidente, que se recusou a se entregar nesta sexta, permanece na sede do Sindicato do Metalúrgicos, em São Bernardo (SP). A Polícia Federal tentava negociar a apresentação de Lula, a fim de evitar conflito com apoiadores de Lula que cercavam o prédio.

Nesta sexta, o ministro Félix Fischer, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), também negou um pedido de Lula para evitar a prisão. Na decisão liminar (provisória), o ministro disse que a defesa não provou que ainda tinha prazo para recorrer da condenação em segunda instância.

O ex-presidente Lula cumprimenta apoiadores ao lado da ex-presidente Dilma Rousseff em São Bernardo do Campo (Crédito: Leonardo Benassatto/Reuters)
O ex-presidente Lula cumprimenta apoiadores ao lado da ex-presidente Dilma Rousseff em São Bernardo do Campo (Crédito: Leonardo Benassatto/Reuters)

Atualizado 10h50

Lula deixa sindicato e sobe em carro de som 

O ex-presidente Lula acaba de deixar o prédio do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC. Ele cumprimenta apoiadores do lado de fora. Lula está no carro de som que está em frente ao sindicato. Ele acena para os apoiadores.

É a primeira vez que o ex-presidente Lula sai do prédio do sindicato desde a noite de quinta (5), quando chegou ao local. Um padre fala de cima do carro de som que está na frente ao Sindicato dos Metalúrgicos do ABC (SP). O ex-presidente Lula está do lado dele. A ex-presidente Dilma Rousseff também está no local, além de outros políticos.

Um ato em homenagem à ex-primeira-dama Marisa Letícia, que faria aniversário neste sábado (7), é realizado em frente ao Sindicato dos Metalúrgicos do ABC (SP). O ato é celebrado de cima de um carro de som do lado de fora do sindicato. Pelo menos um padre está no local. O ex-presidente Lula está no carro de som.

Lula participa de celebração em homenagem à ex-primeira-dama Marisa Letícia em São Bernardo (SP)

Lula participa de celebração em homenagem à ex-primeira-dama Marisa Letícia em São Bernardo (SP)
Lula deixa prédio do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC
Lula deixa prédio do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC
Lula sobe em palanque e acena para militantes em São Bernardo (SP)
Lula sobe em palanque e acena para militantes em São Bernardo (SP)
Lula recebe apoio de Dilma Rousseff durante missa em homenagem à Marisa Letícia
Lula recebe apoio de Dilma Rousseff durante missa em homenagem à Marisa Letícia
Lula recebe apoio de Dilma Rousseff e do governador Welligton Dias durante missa em homenagem à Marisa Letícia
Lula recebe apoio de Dilma Rousseff e do governador Wellington Dias durante missa em homenagem à Marisa Letícia

Atualizado 10h40

Missa atrasa por estado emocional dos filhos de Lula

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva está reunido com parentes e amigos na manhã deste sábado (7), quando se apresentará à PF. Segundo amigos do ex-presidente, um dos motivos do atraso da missa –programada para começar às 9h – é o estado emocional dos filhos. Eles estariam chorando muito.

Em um dia marcado pela expectativa de que o ex-presidente Lula se entregasse à Polícia Federal, em cumprimento ao mandado de prisão expedido pelo juiz Sérgio Moro, o petista manteve o silêncio e decidiu não acatar a determinação da Justiça. Durante a tarde e a noite de ontem, os advogados do petista e aliados se dividiram para negociar o momento da rendição com a Polícia Federal.

O principal articulador foi o ex-ministro da Justiça José Eduardo Cardozo. Na PF, quem liderava o diálogo era o delegado Igor Romário de Paulo, como determinado pela Justiça. De acordo com o senador Humberto Costa, o ex-presidente deve ser preso hoje, após a missa em homenagem à ex-primeira-dama Marisa Letícia, que completaria 68 anos neste sábado.

Manifestantes que apoiam Lula continuam em frente ao Sindicato dos Metalúrgicos do ABC na manhã deste sábado (7). Alguns passaram a noite no local, e mais pessoas chegaram durante a manhã. O ex-presidente segue no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC (SP).

Lula fecha negociação com a PF e decide se entregar hoje

O ex-presidente Lula decidiu se entregar à Polícia Federal neste sábado (7), após a missa que será realizada pela manhã em São Bernardo do Campo (SP) em homenagem à ex-primeira-dama Marisa Letícia. O petista se reuniu no fim da noite com aliados e advogados para acertar os detalhes da apresentação.

Lula tentava negociar com a PF para que a ordem de prisão fosse cumprida apenas na segunda-feira (9), mas houve acordo para que o petista se entregasse no sábado. O ex-presidente quer se apresentar aos policiais no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC de maneira voluntária, mas ainda há dúvidas sobre a maneira como ele deixará o prédio em que está desde a última quinta (5).

Ele pretende evitar enfrentamentos entre militantes e os agentes que serão enviados para prendê-lo. A PF enviará um carro descaracterizado para buscar o ex-presidente, em acordo com os advogados do petista.

Vigília da madrugada

Por volta das 6h desse sábado (07), apoiadores do ex-presidente Lula que permaneceram acordados durante a madrugada faziam um luau na escadaria do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC. Outros simpatizantes continuam dentro do prédio.

Preparação para a homenagem

Luiz Marinho, ex-prefeito de São Bernardo e pré-candidato ao governo de São Paulo pelo PT, disse que a missa em homenagem a Marisa Leticia será do lado de fora do sindicato dos metalúrgicos. Com a celebração em cima do trio-elétrico. A previsão é que comece 9h.

Entenda 

juiz Sergio Moro decretou a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e determinou que ele se apresentasse à Polícia Federal em Curitiba até as 17h desta sexta (6).

Lula não se entregou no prazo determinado. Ele continua na sede do sindicato, em São Bernardo do Campo.

Segundo a assessoria de imprensa da 13ª Vara Federal do Paraná, o ex-presidente Lula não pode ser considerado foragido e também não terá descumprido ordem judicial ao não se apresentar depois deste horário.

Lula foi condenado por Moro no caso do tríplex de Guarujá em julho de 2017. Em janeiro, os juízes do TRF-4 confirmaram a condenação e votaram por aumentar a pena do petista para 12 anos e um mês de prisão.

Fonte: Com informações da UOL

Cidades           

Realidade em Foco

Realidade em Foco