Médico piauiense preso em operação da PF é encontrado morto

Autor: Luis Silva

Publicada em


O médico piauiense Mariano de Castro Silva foi encontrado morto nesta quinta-feira (12/04) em seu apartamento no bairro Ininga, na Zona leste de Teresina. Ele foi preso em novembro de 2017 durante a operação Pegadores, da Polícia Federal, que apurou desvios de recursos públicos federais por meio de fraudes na contratação e pagamento de pessoal, contratos de gestão e termos de parceria firmados com o Governo do Estado do Maranhão na área da Saúde.

Acusado de integrar o grupo que teria desviado cerca de R$ 18 milhões da Saúde no Maranhão, o médico cumpria prisão domiciliar e detalhes sobre sua morte não foram informados.

O corpo foi velado na funerária Pax União e depois seguiu para ser enterrado na cidade de Cocal dos Alves, no Norte do Piauí.

A Secretaria de Saúde do Maranhão, onde o médico teria realizado todo o esquema de corrupção, emitiu uma nota lamentando a morte do médico e dizendo que ele foi mais um vítima do ‘período absolutamente autoritário que vive o Brasil’.

Mariano passou 40 dias na penitenciária de Pedrinhas e nos últimos dias o Blog do Neto Ferreira divulgou uma carta, atribuída ao médico, em que o médico manda um recado ameaçando o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB) e aliados.

“Conversar com Rafael e Thiago… Para Pinto e Tema ir a Lula e Flávio Dino… A culpa não pode ficar só comigo…”, cita um trecho da carta.

Fonte: 180graus

Cidades           

Realidade em Foco

Realidade em Foco