MP e TCE investigam contratos de quase R$ 1 milhão feitos pela prefeitura de União

Autor: Luis Silva

Publicada em


A administração do prefeito de união, Paulo Henrique da Costa, está sendo investigada pelo Ministério Público e pelo Tribunal de Contas do Estado. No inicio da gestão, Paulo Henrique teve que cancelar os contratos que foram feitos com dispensa de licitação, aproveitando o decreto de emergência que ele decretou no município, em valores superiores a R$ 432 mil com o Posto Frota Ltda. E agora assinou contrato no valor de R$ 500 mil para uma empresa fornecer livros didáticos para o Município.

O prefeito viajou para os Estados Unidos e deixou o município, com autorização da Câmara Municipal, mas, sem repassar a administração para o vice, Lauro Nery, com quem está rompido politicamente.

Mesmo nos Estados Unidos, o prefeito de União, Paulo Henrique Costa, assinou um decreto facultando aos servidores do Município o comparecimento ao trabalho na sexta-feira. O documento foi publicado e assinado com data em que o prefeito estava fora do país.

O Ministério Público ingressou com ação civil pública para o prefeito anular os contratos feitos pelo município, alegando que Paulo Henrique se aproveitou da dispensa de licitação ao contratar a empresa Posto Frota LTDA para aquisição de combustíveis no valor de R$ 432.678,35 mil, para um período de apenas dois meses, para atender a prefeitura e as secretarias de saúde, Educação e assistência Social e Cidadania.

Mais recentemente, a prefeitura de União contratou a empresa MF distribuidora e livraria Ltda, por R$ 500 mil, também sem licitação, para fornecer livros didáticos para o município. O processo de inexigibilidade de licitação foi assinado no dia 30 de maio e publicado no Diário Oficial dos Municípios, no dia 5 de junho.






Cidades           

Realidade em Foco

Realidade em Foco