Prefeituras em todo o Estado do Piauí estão demitindo devido à queda do FPM

Autor: Eudson Almendra

Publicada em


A tendência agora é que os municípios tomem está medida impopular para que mantenham o pagamento dos servidores em dias e o gestor evite problemas futuros.

 

O TCE-PI determinou que as prefeituras, a exemplo do município de Morro do Chapéu do Piauí, Picos e Bocaina, sejam notificadas para que se abstenham de realizar novas contratações de servidores temporários e comissionados, e que rescindam contratações ou exonerem servidores com cargos de comissão, com a finalidade de restabelecer equilíbrio orçamentário e financeiro dos municípios, como prevê, Lei de Responsabilidade Fiscal.

Várias prefeituras do estado do Piauí já iniciaram essa medida para conter gastos e se manterem dentro da lei. Em Picos, mais de 500 servidores foram demitidos, o que vai possibilitar o prefeito Padre Walmir, respirar até o início do ano, onde o FPM sobe, aumentando o limite de contratação.

No município de Bocaina o prefeito Erivelton Barros fez um decreto exonerando todos os servidores comissionados, contratados (prestadores de serviços) e terceirizados do município. Ficaram apenas os secretários municipais, servidores do Serviço Médico de Urgência (SAMU), Diretora da Unidade Mista de Saúde, Controlador do Município, e Procuradores Gerais e Adjunto (Subprocurador).

A medida pode parecer drástica más, é extremamente necessária, uma vez que, prefeituras como, Lagoa Alegre, Esperantina, Paraíba e muitas outras cidades em todo o Estado do Piauí que não estão cumprindo a lei prudencial, já começaram a atrasar os salários dos funcionários.

Um exemplo próximo à José de Freitas é a vizinha cidade de Lagoa Alegre, aonde os funcionários já denunciaram junto ao TCE o atraso dos seus proventos e até passeatas em pleno centro da cidade já foram realizadas.

 





Cidades           

Realidade em Foco

Realidade em Foco