José de Freitas/PI,  12 de abril de 2021
 
5 de janeiro de 2021 Informações da Postagem: Por Luís Silva Imprimir Postagem

Governadores aprovam pedido da Fiocruz para antecipar vacina este mês

O governador Wellington Dias (PT) divulgou vídeo em que diz que os gestores dos estados comemoram a decisão. 

vacina Oxford,AstraZeneca

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou pedido da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) para a importação de 2 milhões de doses da vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford, no Reino Unido, com o laboratório sueco AstraZeneca. A Fiocruz vai adquirir as vacinas prontas do Instituto Serum, da Índia, um dos centros de produção do imunizante. A proposta da fundação é contribuir com o início da vacinação ainda em janeiro, com as doses importadas.

O  imunizante ainda não tem autorização de uso emergencial ou registro sanitário definitivo na Anvisa. A Fiocruz disse que um pedido de registro definitivo da vacina será submetido à agência em 15 de janeiro.

O Fórum dos Governadores voltou a cobrar ao Governo Federal o início da vacinação contra a Covid-19 no Brasil com a validação das vacinas com segurança já existentes. 

Na segunda-feira (04), foi aceita a proposta que o Fórum dos Governadores apresentou à Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e ao Ministério da Saúde para que ampliassem a parceria com a vacina Astrazeneca, do Instituto Serum, da Índia.

“Eu comemoro com outros governadores o entendimento feito pelo Ministério da Saúde, ministro (Eduardo) Pazuello e sua equipe, a Fiocruz e a própria Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), para garantir que a AstraZeneca, de uma base de parceria com a Serum, na Índia, possa entregar nos próximos dias doses de vacinas prontas no Brasil”, diz o governador Wellington Dias, presidente do Consórcio Nordeste, que reúne os governadores da região Nordeste.  

Wellington Dias ressalta que o Brasil já possui vacinas contra o novo coronavírus pelo Instituto Butatan e pela Fiocruz.

Butantan com vacina. Fiocruz com vacinas. Previsão de 12 milhões de doses por volta de 21 de janeiro. Se são reconhecidas por agências reguladoras reconhecidas no Brasil por que não ter o procedimento de validação pela Anvisa? Essa orquestra precisa ser melhor organizada, pois precisamos de vacinação já. Essa é a posição do Fórum dos governadores do Brasil”.

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) tenta reverter um possível veto do governo indiano para a exportação de vacinas contra a covid-19 desenvolvidas pela farmacêutica AstraZeneca e a Universidade de Oxford. O laboratório brasileiro articula a importação de 2 milhões de doses prontas deste produto, fabricado em planta na Índia da AstraZeneca, o que permitiria antecipar para janeiro o calendário de imunização no Brasil. O plano da Fiocruz é também produzir doses, mas o primeiro lote deve ficar pronto apenas em fevereiro.

Fonte: Meio Norte.com


Comentários

icone Facebook