José de Freitas/PI,  8 de dezembro de 2021
 
24 de agosto de 2021 Informações da Postagem: Por Luís Silva Imprimir Postagem

Jovens freitenses realizam projeto federal que beneficia a produção agrícola do município

Em José de Freitas, o trabalho de  Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER), tem beneficiado diversos jovens recém formados no Campus local do Instituto Federal do Piauí (IFPI). O projeto tem como base o desenvolvimento de hortas comunitárias orgânicas, inseridas na Organização de Controle Social (OCS) e cadastradas no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA, que ajudam  a incentivar a agricultura familiar local.

A iniciativa faz parte de um sistema orgânicos de produção agropecuária, que segundo a lei (10.831 de 31/12/2003) é todo aquele que busca se utilizar de recursos naturais e socioeconômicos disponíveis na produção agrícola, tendo por objetivo a sustentabilidade econômica e ecológica, a maximização dos benefícios sociais, a minimização da dependência de energia não renovável e a proteção do meio ambiente, empregando, sempre que possível, métodos culturais, biológicos e mecânicos, em contraposição ao uso de materiais sintéticos, a eliminação do uso de organismos geneticamente modificados” – (Lei 10.831/2003).

“O programa vem contribuindo com os horticultores de José de Freitas desde a produção de adubo orgânico, produção de mudas e de fertilizantes naturais para o combate a pragas até a comercialização dos produtos”, explica o José dos Santos de Moura, diretor geral do IFPI – José de Freitas.

Segundo a Secretaria de Agricultura Familiar e Cooperativismo (SAF), o principal objetivo dos serviços de Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER) é “melhorar a renda e a qualidade de vida das famílias rurais, por meio do aperfeiçoamento dos sistemas de produção, de mecanismo de acesso a recursos, serviços e renda, de forma sustentável.

Todos os jovens que participam do desenvolvimento das hortas – que teve início em janeiro deste ano – são técnicos formados no IFPI, o que segundo eles, é uma ótima oportunidade de aliar o conhecimento teórico com prático no dia a dia com os agricultores. Além disso, eles tiveram formações virtuais de capacitaçãocom a legislação dos Sistemas de Produção Orgânico e acompanhamento com o Professor Gilson Portela sobre a regularização de grupos e produtores familiares.

“Como técnico vejo que o programa residência agrícola veio para contribuir de uma maneira bem direta, pois, ajuda os produtores orgânicos a terem uma nova visão de produção e os mesmo estavam sem nenhum acompanhamento técnico, e nem cientes das novas modificações da legislação brasileira. Então o projeto chegou no com a finalidade de ajudar esses horticultores a se regularizarem e a desempenhar novas práticas de manejo que até então eram desconhecidas”, diz o técnico Paulo Vinícius, que trabalha e vive em José de Freitas, ele também destaca que a cidade tem potencial, desde condições ambientais à profissionais especializados para desenvolver mais projetos como esses.

O também técnico em Agricultura, Tomé  Neto,  destaca que a regularização para a produção das hortas orgânicas podem melhorar a qualidade alimentar da população local. “A partir do momento da regularização dos horticultores eles poderão fornecer seus produtos para atividades locais como, por exemplo, a merenda escolar do município e também vender como produtos de origem orgânica para comércio local… atividade esta que hoje eles não podem vender como orgânicos, pois estão sem regularização junto ao ministério”, explica o técnico

BENEFÍCIOS DO CONSUMO DE PRODUTOS ORGÂNICOS

Ao contrário dos produtos convencionais, que compramos em supermercado, os produtos orgânicos são livres de agrotóxicos e fertilizantes sintéticos, além de não utilizar radiação ou aditivos no tratamento contra doenças e pragas que possam atacar as plantas. Portanto, não prejudicam a saúde humana e nem o meio ambiente.

Confira abaixo alguns do benefícios do consumo de alimentos 100 % orgânicos:

  • Podem evitar problemas de saúde
  • São mais nutritivos e saborosos
  • Mantém a qualidade da água
  • Melhoria da vida no campo
  • Ajuda na conservação ambiental
  • Tem maior durabilidade do produto na sua mesa
  • Evita contaminação química em gerações futuras
  • Contribui para o desenvolvimento e sustento dos horticultores.
  • A qualidade do produto orgânico é assegurada por um selo de certificação.

De acordo com o técnico Tomé Neto, todos os residentes que atuam nas hortas recebem o incentivo do Ministério da agricultura, com uma bolsa mensal de valor único, conveniado à prefeitura municipal de José de Freitas

Estão sendo contempladas com o projeto as hortas do Bairro São Sebastião, Suco de Uva, Santa Rosa e Horta da Marmelada. Os técnicos que participam do desenvolvimento do projeto são os jovens Alexandre Ferreira, Mayara  Macedo, Miguel Costa, Paulo Vinicius, Verônica Alves e Tomé Neto.


Comentários

icone Facebook