José de Freitas/PI,  26 de maio de 2022
 
11 de abril de 2022 Informações da Postagem: Por Luís Silva Imprimir Postagem

Ladrões furtam fios das praças de Barras e deixam postes energizados

O crime mais praticado nos últimos meses em Barras é o de furto de fiação. Crime que acontece diariamente, que segue impune e que causa revolta nos moradores. Os meliante, a princípio, se focavam em propriedades particulares, agora invadem o espaço público. Nessa segunda-feira (11), a praça escolhida foi a do Bairro Boa Vista.

A população tem que ficar atenta porque os vândalos deixam as pontas de fios soltas, o que termina energizando os poste, o que pode levar uma pessoa a morte por choque elétrico. O alerta foi dado pelo eletricista Paulinho, que alerta para o perigo da ação dos meliantes.

 “Já roubaram os fios da Praça do Pequizeiro, do cemitério e agora da praça da Boa Vista”, conta Paulinho.

POLÍCIA MILITAR ENCONTRA FIAÇÃO QUE ESTAVA SENDO QUEIMADA

O Capitão Miguel Batista, comandante do batalhão de Barras, informa ao longah que cerca de 30 quilos de fiação foi encontrada pela Polícia Militar. “Vamos entregar na delegacia porque não sabemos de onde foi roubado. Pode ter sido do cemitério, da praça da Boa vista”.

Segundo o capitão, a fiação ia ser queimada no Bairro Xique Xique, por trás do postinho. Os meliantes fugiram ao serem flagrados, abandonando o material do furto.

O Capitão Batista conta ainda que ladrões de fios já foram presos algumas vezes e conduzidos à delegacia. O que a sociedade não compreende é porque os mesmos meliantes têm que ser presos mais de uma vez. Por que são liberados para voltar a furtar?

“Nós fazemos o nosso trabalho. As rondas estão sendo feitas todas as noites. Mas infelizmente uma viatura com 3 policiais não consegue dar conta de cobrir uma cidade com 46 mil habitantes”, disse o PM.

QUEM COMPRA?

O longah apurou que um comerciante conhecido é quem compra o cobre extraído dessa fiação. Segundo a fonte que não quis se identificar, ele não nega que faz isso e diz que não é o único em Barras.

A polícia também tem conhecimento da identidade de quem faz a receptação, mas não pode chegar e prender, a não ser que seja em flagrante.

Enquanto isso, a população continua a sofrer as consequências.

Fonte: longah.com


Comentários

icone Facebook