José de Freitas/PI,  25 de setembro de 2020
 
22 de agosto de 2020 Informações da Postagem: Por Luís Silva Imprimir Postagem

LAGOA ALEGRE MEMÓRIAS: o escândalo das eleições gerais no povoado Lagoa Alegre, em 1947

Na década de 40, União era um barril de pólvora alimentado pela tensão entre os partidos PSD e UDN, numa disputa acirrada pelo poder. O então povoado Lagoa Alegre não ficou à parte. Nas eleições gerais de 1947 a tensão política chegou ao povoado e por pouco não anulou uma eleição.

Nas eleições gerais de 1947, o UDNista Rocha Furtado despontava em Lagoa Alegre como o candidato vencedor para o governo do Estado. O então prefeito Eulálio Costa, do PSD, vendo-se ameaçado por uma vitória de seu opositor, move esforços para anular a eleição em Lagoa Alegre, que a esta altura contava com pouco mais de mil votantes, alegando que “as eleições em Lagoa Alegre se processaram em ambiente de terror”. Alega ainda que as folhas de votação se encontravam “cheias de vícios e rasuras”, sendo ainda entregues com um dia de atraso, e que Lagoa Alegre era “um sítio sem policiamento ou vida própria”, propício a manipulação.

No entanto, o presidente da 8ª seção, José Moita, expressou que as eleições ocorreram normalmente, e que “a chuva que caiu por todo o dia 4 impediu a condução das urnas para União, o que foi feito no dia 5”. Relatou que os nomes riscados eram de eleitores ausentes e que as rasuras na folha da 9ª seção foram justificadas na ata de encerramento.

O presidente de seção, Joaquim Machado, alegou que as eleições transcorreram normalmente durante todo dia 2, e no dia 3 até as 19 horas, quando, por falta de luz, fora suspensa. Durante a suspensão a urna foi resguardada num quarto que se manteve trancado, sendo aberto apenas por este, na presença de outrem, para retomada da votação. Disse ainda que Eulálio Costa, aproveitando-se de uma ligeira ausência sua, encorajou Anerão Coutinho a fazer protestos, mesmo após o término da votação.

As testemunhas ouvidas revelaram que “era voz corrente na cidade de União que, mesmo antes das eleições, Eulálio Costa iria a Lagoa Alegre com o fim de anular as eleições, em virtude de seu partido não ter eleitores naquele local”. Disseram ainda que não houve desordem ou terror na eleição, que não presenciaram terrorismo, ou não souberam que esse ambiente reinasse em outras seções.

Dito isso, o Tribunal Regional Eleitoral, em conformidade com o parecer do Procurador Regional, considerou válida a apuração de votos em Lagoa Alegre.

A falha nos esforços de Eulálio em suprimir a votação em Lagoa Alegre teve consequências. Neste ano, Rocha Furtado foi eleito governador do Piauí, nomeando José Melo para substituir seu opositor Eulálio na prefeitura de União.

Por: Thiago Inácio


Comentários

icone Facebook