José de Freitas/PI,  26 de setembro de 2020
 
22 de abril de 2020 Informações da Postagem: Por Luís Silva Imprimir Postagem

Oposição pede a cassação do prefeito da cidade de Cabeceiras, Dr. José Joaquim

Vereadores do município de Cabeceiras, distante cerca de 100 quilômetros da capital Teresina, enviaram para a Câmara Municipal um requerimento solicitando cassação do prefeito José Joaquim (PP). Os vereadores Elenita Macêdo, Maria do Carmo Rodrigues e Marcos Tadeu assinaram o documento.

Os parlamentares acusam José José Joaquim de não estar na linha de frente durante a pandemia do novo coronavírus (covid-19), estando inclusive ausente do município. No requerimento, os vereadores usam como base lei orgânica municipal que diz que o gestor não pode se ausentar do município por mais de 20 dias sem justificativa, sob pena de perda de mandato. Em entrevista ao GP1 nesta segunda-feira (20), o vereador Marcos Tadeu justificou o pedido.

  • Foto: DivulgaçãoRequerimento assinado pelos vereadores

“A população começou a denunciar a nós vereadores que não encontrava o profissional de saúde nos postos de saúde no interior e não saberiam o que fazer com familiares com sintomas da covid-19. O momento estava de desespero. Fomos até a Unidade Básica de Saúde, prédio onde a secretária fica e fomos atendidos pelo gestor Itamar, que os recusou de passar as informações que a gente estava precisando”, afirmou.

Marcos disse ainda que a secretária de Saúde, Ana dos Santos Mota, esposa do prefeito, também está sem ir na cidade. “Foi aí que pedi o número de telefone da secretária do município. Ela me disse que já estava desde o dia 20 de março em Teresina e perguntei porque ela não estava no município, já que a população está desesperada. Ela disse que estava afastada desde esse dia do serviços”, denunciou.

Outro lado

Procurado pelo GP1, o prefeito José Joaquim negou que tenha deixado de ir ao município e encaminhou uma fotografia do dia 4 de abril, durante uma visita a um hospital de Cabeceiras. O gestor disse que a denúncia é descabida e que tem pretensões políticas e que ele está evitando aglomerações, bem como pede a Organização Mundial de Saúde.

José Joaquim e Itamar, diretor da UBS de Cabeceiras em foto apresentada como comprovação de que o prefeito esteve na cidade em 4 de abril

“Isso é mentira. Inclusive a Câmara não vai admitir esse requerimento, já que não tem prova nenhuma. Semanalmente eu atendia centenas de pessoas na minha residência, na prefeitura. Eu vou para o município duas, três, quatro vezes por semana. Só que eu não atendo ninguém, só meus secretários, meus assessores e meus vereadores. Queriam que eu tivesse atendendo gente e na hora que morresse um, já que vai chegar, culpar o prefeito”, respondeu o gestor.

Sobre a secretária de saúde, que é sua esposa, o prefeito disse que ela faz parte do grupo de risco, mas que sempre está no município coordenando ações.

“A secretária de saúde toda semana esta no município coordenando as ações de saúde, fica em isolamento social, atendendo funcionários e assessores em sua residência em Cabeceiras, pois a mesma está em grupo de risco, para coronavírus. O município vem tomando as devidas providências para prevenção e controle do Covid-19”, finalizou.

Fonte: GP1


Comentários

icone Facebook