José de Freitas/PI,  20 de setembro de 2020
 
29 de junho de 2020 Informações da Postagem: Por Luís Silva Imprimir Postagem

Polícia prende mais um acusado de matar estudante em José de Freitas e enterrar o corpo

Imagem: Revista Opinião

Francisco karpegiane Mendes da Silva, pseudônimo “KAKÁ” 22 anos de idade, foi preso na noite deste sábado 27 de Junho 2020, na barragem do bezerro em José de Freitas, durante uma ação em conjunto da polícia militar do 16°BPM e Guarda Municipal, contra o mesmo havia um mandado de prisão preventiva em aberto expedido no dia 20 de Março deste ano, pela Justiça do Piauí, por meio da comarca deste Município, sob acusação de homicídio, que tem como vítima o estudante Lucas da Silva Rodrigues, 17 anos de idade, morto de forma cruel em 2019.

A Polícia Militar e a Guarda Municipal foram até  Barragem do Bezerro, no lado “A” para averiguar uma denuncia de desrespeito ao isolamento social por conta da pandemia do Coronavírus, ao chegar no local o policial militar G. Ferro, que fazia parte das guarnições avistou um elemento correndo, oportunidade que resolveu fazer o acompanhamento também a pé, tendo logrado êxito na captura do indivíduo, que foi identificado como sendo “KAKÁ”, que estava foragido e era procurado pela polícia de José de Freitas.

Lucas da Silva Rodrigues.

A polícia informou que “KAKÁ” é um dos acusados na participação do homicídio que teve como vítima o estudante Lucas da Silva Rodrigues, 17 anos, assinado de forma cruel, cujo corpo foi encontrado por populares no dia 28 de Setembro de 2019, enterrado em uma cova na localidade Assentamento Marcos, zona rural de José de Freitas, os outros acusados de participação no homicídio, Joclenilton e Roberon, também estão preso, KAKÁ era o único acusado na participação do crime que estava em liberdade.

Após a prisão, Francisco Karpegiane Mendes da Silva “KAKÁ” foi encaminhado para Central de Flagrantes em Teresina, onde foi lavrado o flagrante em seu desfavor, desta forma vai aguardar o julgamento do crime atrás das grades. A morte do estudante que também era conhecido como “Lorim” ganhou ampla repercussão na época e mobilizou várias pessoas para localizar o corpo que ficou desaparecido cerca de uma semana, até ser localizado por populares.


Comentários

icone Facebook