José de Freitas/PI,  26 de maio de 2020
 
15 de maio de 2020 Informações da Postagem: Por Luís Silva Imprimir Postagem

Segunda parcela do auxílio emergencial sai a partir de segunda-feira

A notícia que milhões de brasileiros queriam saber, o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, anunciou agora há pouco que a segunda parcela do auxílio emergencial de R$ 600 será depositada nas contas dos beneficiários a partir da próxima segunda-feira (18).

A expectativa é que as datas exatas sejam divulgadas amanhã, de acordo com a data de nascimento. 

Até a última terça-feira (13), de acordo com a Caixa, 50 milhões de brasileiros já receberam o auxílio. Acontece que esses números são os mesmos de duas semanas atrás. O governo desembolsou até agora R$ 35,5 bilhões. 

Isso porque tem muita gente que não recebeu nem a primeira parcela, mas Pedro Guimarães, falou que o banco pagará amanhã e no sábado as pessoas que tiveram o dados inconclusivo e portanto refizeram seus cadastros.

Guimarães não informou quantas pessoas serão pagas em mais uma etapa da primeira parcela e nem se haverá novas liberações.

Apenas os beneficiários do Bolsa Família têm data certa para receber, pois os pagamentos seguem o calendário do programa. Outros milhões de brasileiros ainda aguardam a liberação do benefício.

MILITARES RECEBERAM AUXÍLIO SEM TER DIREITO

O deputado federal Assis Carvalho (PT/PI) pediu esclarecimentos ao Ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, sobre o auxílio emergencial pago indevidamente a militares da ativa, da reserva, reformados, pensionistas e anistiados.

O benefício, no valor de R$ 600, destinado aos trabalhadores informais, microempreendedores individuais (MEI), autônomos e desempregados foi recebido por 189.695 militares, totalizando R$ 113.816.990,00.

O parlamentar lembra que o objetivo do auxílio é fornecer proteção emergencial no período de enfrentamento à crise causada pela pandemia do Coronavírus. No entanto, na tentativa de receber o auxílio, muitos brasileiros têm se arriscado em filas tumultuadas e quilométricas. “Várias horas nas filas das agências passaram a fazer parte da rotina de beneficiários do auxílio emergencial. Têm pessoas passando as noites do lado de fora das agências”, diz Assis Carvalho.


Comentários

icone Facebook