José de Freitas/PI,  19 de julho de 2019
 
20 de abril de 2019 Informações da Postagem: Por Luís Silva Imprimir Postagem

Tailândia: Casal pode ser condenado à morte por casa em mar aberto

Um casal pode ser condenado à morte na Tailândia por terem construído uma casa flutuante a 22 quilômetros da costa de Phuket. As autoridades tailandesas afirmam que a existência da construção afeta a segurança e soberania nacional.

O americano Chad Elwartowski e a namorada tailandesa Nadia Supranee Thedpet construíram a estrutura em “águas internacionais” e se esconderam das autoridades locais depois que o visto de Chad expirou.

O homem promovia a existência de casas flutuantes nas redes sociais e garantia que elas não estavam sob a soberania nacional de nenhum país, o que as autoridades tailandesas asseguram ser mentira.

O casal pode pegar prisão perpétua ou ser condenado à morte pelas leis de imigração do país. Segundo a CNN, as autoridades não sabem se os dois ainda estão na Tailândia ou na casa flutuante.

Casal está seguro

Pelo Facebook, Elwartowski disse que ele e Nadia estavam seguros, segundo a CNN. A postagem foi deletada.

No post original, ele dizia não saber se a casa foi destruída pelas autoridades e que estava preocupado com o futuro de Nadia. “Se a casa ainda está lá ou não, eu não me importo tanto. Eu estou mais preocupado com a Nadia sendo afastada de seu país natal e sua família. O filho dela está preocupado. Espero que eles possam se reunir logo”, escreveu, segundo a emissora norte-americana.

Ainda pela rede social, ele defende que a casa estava fora do território tailandês e que eles moravam em águas internacionais. Ele também divulga o documentário que fez com a namorada, em que mostravam o dia a dia na habitação.

A Marinha tailandesa disse que o casal está ameaçando a segurança nacional e trata o caso como urgente. “Eles possuem uma casa flutuante e estão usando as redes sociais para vender moradias do tipo, e garantem que a casa não está sob nenhuma soberania nacional, o que não é verdade. Isso pode fazer outras pessoas acreditarem e está ameaçando a nossa segurança nacional”, disse o Coronel Kataporn Kumthieng, chefe do centro de imigração de Pukhet.

As casas flutuantes

O movimento pelas casas flutuantes permanentes começou em 2008, com o bilionário do Vale do Silício Peter Thiel. Ele defendia a ideia de criar pequenas nações fora de estados já existentes.

A empresa que construiu a casa do casal, a Ocean Builders, disse que os dois foram “voluntários animados sobre a ideia de viver livremente”, em post no site oficial. Eles também esperam que as autoridades tailandesas resolvam o problema com Chad e Nadia de maneira diplomática.

Fonte: R7


Tags:

Comentários

icone Facebook