José de Freitas/PI,  17 de janeiro de 2022
 
7 de janeiro de 2022 Informações da Postagem: Por Luís Silva Imprimir Postagem

Você sabe quem construiu a capela de Nossa Senhora do Livramento, em José de Freitas?

A Igreja Católica tem sido importante para a formação dos livramentenses e freitenses, desde a origem de nossa cidade, quando da fundação da fazenda Boa Esperança no primeiro quartel do século XVIII. A Casa-Grande de Boa Esperança é dos ídos de 1725, mas a pequena Capela consagrada a N. S. do Livramento só foi construída em 1740 (FERREIRA, 2013, p. 141), geminada à Casa-Grande e ambas de frente para o poente. Esta Capela é relevante para o enriquecimento da história de José de Freitas, e tudo o que a ela diz respeito deve ser considerado.

Na Boa Esperança, a Capela de N. S. do Livramento foi construída em ação espontânea do ideal religioso do casal de proprietários da fazenda, Dom Manuel Carvalho de Almeida e Clara da Cunha e Silva Castelo Branco (ambos nascidos no séc. XVII e falecidos no séc. XVIII, sendo sepultados na Capela). A ideia da Capela como local de culto da família Castelo Branco é também justificada pelo ajuntamento de gente da região ali por perto, o que evidencia o significado da religião para eles, e o local apropriado à prática religiosa, com ou sem padres.

Mesmo a uma distância de sete léguas e meia, a Paróquia de Campo Maior deu apoio à Capela de Boa Esperança. A partir daí, a união da família Castelo Branco em torno da Boa Esperança, a chegada de pessoas livres e, principalmente, a força da religião católica e da Capela de N. S. do Livramento, contribuíram para que esta fazenda, após noventa anos de instalada, passasse a ser conhecida com o nome de Capela do Livramento.

No Censo de 1831, a Boa Esperança aparece com o nome de Capela do Livramento e uma população de 4.806 habitantes. Na reforma realizada na Capela, em 1777, nasceu a Igreja de N. S. do Livramento. Foi feito uma ampliação no comprimento e largura, e outros melhoramentos, sob a coordenação do Capitão de Ordenança de Campo Maior, Dom Francisco da Cunha Castelo Branco (filho do primeiro casal de proprietários) e do seu sobrinho, Cônego Antônio Borges Leal (1742-1820), nascido na fazenda São Pedro.

Mons. Deusdedith Craveiro de Melo.

Na foto dessa postagem aparece o Mons. Deusdedith Craveiro de Melo, nascido na cidade do Livramento (origem de José de Freitas) em 1925 e falecido em 2009 na capital. O Pe. Deusdedith como era conhecido foi um baluarte para José de Freitas, revolucionando a Igreja e a Educação do município. Foi pároco da cidade entre 1959 a 1988. Homem erudito e respeitado, também na capital, onde foi também diretor do Colégio Diocesano.

Fonte: Fernando Freitas


Comentários

icone Facebook